Blog

Homenagem póstuma

Categoria Homenagem

904 visualizações

HOMENAGEM PÓSTUMA: UM GUIA PARA VOCÊ ENTENDER

Antes de qualquer coisa, o que é uma homenagem póstuma? Como o próprio nome sugere, ela consiste em uma maneira de honrar e saudar a memória de uma pessoa querida que já faleceu.

É uma forma carinhosa de se demonstrar que aquele pai, mãe, irmão, cônjuge ou qualquer pessoa por quem se tenha grande apreço ficará para sempre em suas lembranças. Como a morte de uma pessoa amada traz muita dor e até mesmo um vazio na vida daqueles que sentirão a sua ausência, a homenagem póstuma é feita tanto como forma de gratidão, de reconhecimento e de exaltação, como também para confortar o coração daqueles que ficam e para quem a saudade será sempre uma constante.

Quer saber quem pode organizar esse tipo de celebração, como fazer e quando? Continue lendo este texto e confira tudo.

QUALQUER PESSOA PODE FAZER UMA HOMENAGEM PÓSTUMA?

Não há nenhuma lei ou norma que trate acerca da homenagem post mortem. Ou seja: qualquer pessoa está apta a organizar essa cerimônia. Contudo, sabemos que perder um ente querido causa grandes sofrimentos aos seus familiares e amigos, sendo que, em alguns casos, trazer à tona recordações do falecido pode causar ainda mais dor e prolongar o luto para algumas pessoas.

Nesse caso, se o homenageado não for um parente mais próximo a você, o mais indicado é que, antes de iniciar os preparativos, a família seja comunicada. Assim, aquele momento tão especial e planejado com tanto amor não corre o risco de aumentar a dor de alguém.

QUANDO E COMO FAZER UMA HOMENAGEM PÓSTUMA?

As homenagens póstumas não seguem um padrão e suas formas variam muito a depender, inclusive, de hábitos, costumes e tradições seguidas pelos familiares e amigos do ente falecido. Portanto, não existe uma regra ou uma etiqueta a ser seguida; o que realmente importa é demonstrar, através desse ritual, todo amor, respeito e gratidão.

CATOLICISMO NO BRASIL

Aqui, no nosso país, os católicos têm na missa de Sétimo Dia uma forma de reverenciar as pessoas falecidas, assim como ocorre nas missas de Corpo Presente, que acontecem no momento do funeral.

É muito comum que nessas celebrações sejam feitas leituras em homenagem ao morto. Algumas famílias, inclusive, ao final da missa, têm o costume de entregar “santinhos” com a foto de quem faleceu, contendo passagens bíblicas, letras de músicas, poemas ou mensagens dedicadas exclusivamente à pessoa em questão.

Ainda dentro do catolicismo, também vemos muitas homenagens acontecerem em 02 de novembro, quando é celebrado o Dia de Finados. Nesse dia, amigos e familiares têm o hábito de visitar o cemitério a fim de levar flores para adornar o túmulo das pessoas que faleceram e acender velas.

OUTRAS RELIGIÕES E CRENÇAS

Assim como na religião católica, o Candomblé, religião de matriz africana, também celebra o Dia de Finados com visitas aos cemitérios onde são levadas flores, velas e realizadas rezas pelo ente falecido.

Contudo, nem toda religião celebra essa data, como é o caso dos evangélicos, espíritas ou budistas. Da mesma forma, há aqueles que não seguem nenhuma religião ou que não têm o hábito de manter esses rituais.

O que importa é que, independentemente da religião, as possibilidades são enormes e podem acontecer desde o momento do velório (quando há discursos, leituras, recitadas poesias ou músicas cantadas que remetem à memória da pessoa que morreu) ou mesmo dias, meses ou anos após o falecimento.

Além disso, as homenagens póstumas vão se adequando às novas gerações e também às tecnologias que estão disponíveis.

HOMENAGENS PÓSTUMAS NA ERA DIGITAL

É muito comum hoje em dia vermos pessoas fazendo tatuagens em homenagem à pessoa que morreu ou editando vídeos, gravando documentários, criando playlists com as músicas que a pessoa falecida gostava e que depois serão disponibilizados em plataformas digitais.

LIVRO DE MEMÓRIAS

Em determinadas situações, essa homenagem pode ser feita através de um livro de memórias em que se conta a história e todo o legado deixado pelo ente falecido. Não é incomum que esses livros tragam histórias bem-humoradas, lembranças cheias de afeto e acontecimentos inusitados – tudo isso contado de forma leve e arrancando sorrisos dos leitores, apesar da dor que a morte geralmente carrega consigo.

CENTENÁRIOS

Em outros casos, vemos famílias comemorando datas especiais em homenagem a um ente querido, como a celebração do “Centenário” de avós ou bisavós que partiram antes de completar seus 100 anos de vida. Sugestões legais para esse evento são fazer camisas com a foto estampada do parente falecido, criar canecas com suas frases marcantes e distribuir entre os familiares como uma lembrança, pendurar banners com fotos e momentos inesquecíveis, contratar um músico com um pequeno show para relembrar músicas que o homenageado gostava, etc.

FORMATURAS, ANIVERSÁRIOS E CASAMENTOS

A homenagem póstuma também pode acontecer em um casamento, formatura ou mesmo na data em que se comemorava o aniversário do parente ou amigo falecido. Em formaturas acadêmicas é comum que essa homenagem seja prestada na solenidade de Colação de Grau, quando um dos formandos é escolhido para fazer a leitura emocionada de homenagem aos “Pais Ausentes”.

VIAGENS

Há, ainda, aqueles que prestam essa homenagem fazendo um roteiro turístico adaptado aos gostos e interesses daquele que se foi. Essa é uma forma de fazer com que a pessoa amada esteja presente durante todo o passeio, seja lembrada e recordada em cada museu, praia ou atração local, como se estivesse lado a lado com quem ficou.

HOMENAGEM PÓSTUMA PLANTANDO ÁRVORES

Entre um jardim, uma árvore ou um bosque, você adquire um espaço no BioParque as cinzas do ente falecido será incorporado ao ciclo de vida de uma ávore que passa, assim, a representar um marco memorial simbólico, possibilitando a eternização de suas memórias e histórias.

Inusitada, sustentável e contemporânea, essa homenagem nasce a partir de processos homologados por especialistas da Universidade Federal de Viçosa. Primeiro, as cinzas da cremação e a semente de uma espécie de árvore de sua preferência são depositadas em uma urna ecológica. Depois, ela é transferida para uma incubadora, onde a semente será monitorada e cercada de cuidados até uma germinação eficiente. Após a germinação, a urna continua sendo monitorada até a muda ser transferida para o solo em local de sua escolha, em um parque ecológico, transformando-se em uma árvore madura, saudável e frondosa.

HOMENAGENS PÓSTUMAS A PESSOAS PÚBLICAS

Em outros casos, celebridades, políticos, cientistas e outras personalidades locais que ganham destaque por seus feitos em vida têm seus nomes ligados a projetos sociais, ONGs (Organizações Não Governamentais), ruas ou avenidas. Há ainda homenagens que se traduzem em bustos ou estátuas que reproduzem a imagem da pessoa falecida e são instaladas em locais de destaque dentro das cidades.

É importante destacar que, quando a homenagem à pessoa falecida consistir em nomear vias, logradouros ou prédios públicos, essa tarefa ficará a cargo do Poder Público municipal: é ele que irá definir a rua para a qual se pretende atribuir o nome da pessoa falecida. Essa homenagem póstuma é muito comum nas cidades brasileiras, que ganham nomes de personalidades históricas importantes.

Percebemos, portanto, que existem muitas maneiras de se prestar uma homenagem à pessoa querida que já faleceu, o que pode ser feito em diferentes ocasiões, por iniciativa de diversas pessoas e por diversificados meios, inclusive o digital.

O que há em comum dentre todas essas formas de se reverenciar um ente querido é justamente o amor e a consideração dedicados pelos familiares ou amigos que buscam, através dessas celebrações, manter viva a memória da pessoa que partiu. Assim, seu legado continua marcando as vidas daqueles que ficaram.

No fim das contas, o que realmente importa é fazer com que cada meio utilizado para isso traga um pouco mais de paz, leveza e conforto para familiares e amigos.

Compartilhe este conteúdo!
Leia também